terça-feira, 15 de março de 2011

Doce Poesia - Arnalda Rabelo

A poesia chega
assim...
Acanhada
De pés descalço
E...
Docemente
Passa pelos jardins desertos
Liberta o grito aprisionado
A dor emudecida
A alegria contida

A poesia é livre!

Restaura os poços secos da alma
Inunda-os com flores
E, sob uma sinfonia de pássaros
Traz de volta o arco-íris.

Arnalda Rabelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário