segunda-feira, 27 de junho de 2011

Divã (fragmento2) - Martha Medeiros
























Eu me exijo desumanamente. Tenho impressão de que se eu não tiver uma vida bem argumentada ela vai se esfarelar em minhas mãos. Sou garimpeira, quero sempre cavoucar a razão de tudo, não consigo dar dois passos sem rumo determinado.
Martha Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário