sábado, 19 de novembro de 2011

Coral Canarinhos de Petrópolis

Marco Lischt – Regente fala sobre o Coral Canarinhos de Petrópolis


Dos seus 42 anos, 34 foram dedicados aos Canarinhos de Petrópolis. Logo, não há ninguém melhor para falar desse coral formado por crianças e adolescentes do que Marco Aurélio Lischt, ele mesmo ex-canarinho e hoje regente do grupo. O músico convida crianças de todas as escolas a participar da seleção do coral e mostra que assimilou bem o espírito dos Canarinhos: “A música nunca deve ser desvinculada da Educação. Ao contrário, ela deve englobar o ensino da arte, com o objetivo de proporcionar uma melhor educação, uma formação melhor”, defende Lischt. Em entrevista ao Conexão Aluno, o regente fala da importância do contato com a música desde cedo e conta um pouco da rotina do grupo.


Conexão Aluno (CA) - Como é feita a seleção dos Canarinhos? Ela é aberta a todos?

Marco Lischt - Os Canarinhos sempre foram filiados ao Colégio Bom Jesus. Boa parte dos canários é oriunda dessa escola. Mas já há algum tempo o grupo vem se abrindo para outras escolas. E as crianças que gostarem e tiverem aptidão podem fazer um teste, para vermos se têm voz para cantar. Normalmente, avaliamos os potenciais vocais dessa criança, a sociabilidade etc. Por enquanto, ainda não temos nenhuma criança da Rede Estadual, mas já temos da municipal aqui de Petrópolis.

CA – Como é a rotina dos meninos cantores?

Marco Lischt - A rotina diária conta com ensaios na parte da tarde. As crianças vão à escola de manhã e almoçam aqui. Depois eles fazem o ensaio, aulas de técnica vocal, aula de instrumentos, teoria musical, enfim, eles têm um dia bem tomado com a música. Eles não ficam ociosos, mas deixamos também um tempo para eles brincarem, claro.

CA - Qual a idade dos Canarinhos?

Marco Lischt - Eles começam aos nove e ficam até 18, 19 anos. Alguns, quando começam a faculdade, especialmente se continuarem em Petrópolis, ainda permanecem no coro. Temos também o Coral das Meninas dos Canarinhos de Petrópolis. É o mesmo trabalho, mas feito com as meninas.

CA - Como eles conseguem conciliar os estudos com todos esses ensaios?

Marco Lischt - Além de todas as aulas que eu falei, sempre deixamos um horário para estudos. Temos uma grade bem regulada, com pausas e tempo para esporte também. Queremos dar a formação mais ampla possível e deixarmos um tempo para que eles possam se organizar.

CA - Em geral, os Canarinhos, depois que saem do coral, seguem carreira musical?

Marco Lischt - Não é muita gente que segue a carreira, mas eles querem sempre ter um contato com a música. No momento, por exemplo, de sessenta cantores, cinco ou seis gostariam de seguir a carreira de músico. Isto é, pelo menos 10% têm essa vontade. Muitos realmente seguem, temos ex-cantores que estão na Europa, no Teatro Municipal, na Osesp, em São Paulo, na Orquestra Sinfônica Brasileira etc. Eu mesmo cantei no coro durante muitos anos, depois fui para a Europa estudar.

CA – O que representou para você essa passagem pelos Canarinhos?

Marco Lischt - Para mim foi fundamental. Se não tivesse participado dos Canarinhos não estaria na área musical de forma profissional. Agradeço a oportunidade de ter tido contato com muitos estilos musicais. Além disso, os canarinhos me abriram a oportunidade de fazer uma faculdade fora, impagável.

CA - Como é trabalhar com esses meninos que começam uma carreira na música tão cedo?

Marco Lischt - O trabalho com eles é muito gratificante, eles são muito rápidos no aprendizado. E são muito abertos, não têm aqueles bloqueios que os adultos podem ter. Estão sempre à vontade, procuram fazer tudo da melhor forma possível. Claro que, como com qualquer outra criança, há dias que rendem mais, outros menos. Mas eles realmente têm vontade de aprender as coisas, estão abertos para alguns experimentos vocais. Esse é realmente um ambiente bem aberto para se trabalhar.


* Fonte : Internet - matéria de 30/03/2010


Nenhum comentário:

Postar um comentário